· 

Quando ando á caça da criatividade

Esta semana quero partilhar as várias maneiras que tenho, quando invento histórias ou imagens...

 

Se por vezes parece simples e as ideias correm com a naturalidade de um riacho, outras vezes o riacho seca e tenho que subir o monte da inspiração, que tem algumas superfícies escorregadias ou extremamente ingremes, para alcançar a bem-dita ideia..
São quatro técnicas que mais uso.  Se tu tiveres algumas técnicas para ter ideias diferente destas está á vontade para partilhar. Mas antes.


O que isto tem haver com a história "Precipitado nas Conclusões?
Porque esta história nasceu num dia de seca. A subida a esse  monte da inspiração foi árdua e a ideia nunca teria acontecido se não tivesse usado a terceira técnica.
Mas nem todas as história são assim. E na imagem  abaixo está um exemplo, ainda em rascunho de uma ideia, que  nasceu daquela maneira simples! 

Mas vamos á …
primeira técnica:
Desenho de modo livre....como é desenhar em modo livre? É deixar o lápis ou caneta ou pincel marque o papel e a coisa ACONTECE! Neste caso Segue-se um pouco o principio do Picasso. Para a inspiração aconteça é necessário que ela encontre o artista a trabalhar.
segunda técnica:
É muito semelhante á primeira, A diferença está no seu inicio. Começa-se com rabisco aleatória no papel e usa-se esse traços para deixar crescer a ideia .No entanto, por vezes nasce uma idea que não pode ser usada no projeto que se tem em mãos. É o tal chão escorregadio que referi no inicio. A experiencia ensinamos a navegar nestes espaços e uma associação de imagens com técnicas de brainstorming também ajuda.

Terceira técnica:
Ver trabalhos de outros criativos. Esta no entanto tem um senão. Para mentes mais criticas torna-se desencorajador e pode mesmo causar um dialogo nada benéfico.
Para usar esta técnica é necessário afastares todos os aspetos de comparações entre nós e o artista inspirador. E não te esqueças podes usar essas imagens/musicas/textos inspiradores num todo mas também em parte. Podes dividir os elementos teóricos; Composição / cor/ tecnica plástica / linha. etc e usar só um desses elementos como fonte de inspiração para as tuas obras.
Quarta técnica:
Esta é uma boa! :😊tu vais gostar!
Passear onde não exista muita distração visual.. Por isso passear no Facebook ou coisas assim não estão incluídos.
É necessário Andar! O acto de andar estimula a mente. Sabias? Por isso anda em espaço aberto tipo praia ou campo ou na rua.

E se for em tempos de quarentena uma volta á cozinha, e sem abrir nenhuma porta de frigorifico também serve. O que interessa aqui, é abstrair do impasse de falta de ideias, para permitir que a ideia nasça.
Aqui o abstrair é usado como deixar de pensar no problema que nos amofina e permitir que o nosso segundo cérebro resolva a questão.
Não sabes do que falo?! Não acontece contigo? Andas á volta com uma coisa e não achas solução, afasta-te do desse problema e vais dormir, ou fazer outra coisa que em nada se relacionada e de repente! PUff!!!!! A solução surge!
Eu costumo dizer que a minha mente fica a trabalhar em off ou é o segundo cérebro. 😃😃 Tenho que informar que "mente em off" e "segundo cérebro" nada tem de ciência são denominações pessoais para esta situação. 

O Livro "precipitado nas conclusões"
E estas são as tecnicas para ter ideias que uso. Exprimenta-as e diz-me se te dão resultados. E finalmente o que prometi num post na rede social desta semana,  o livro para poderes guardar ou partilhar com quem quiseres. Espero que gostes! Até sábado! 😎

Acesso ao Livro